segunda-feira, junho 29, 2009

Autópsia diz que Michael Jackson não tinha cabelo nem a ponta do nariz. Saiba mais!


Detalhes da autópsia realizada no corpo de Michael Jackson, na última sexta-feira (27), vazaram na internet e revelaram fatos chocantes sobre a vida e a morte do popstar.

O cantor era um esqueleto virtual, segundo o The Sun. Ele mal comia e em seu estômago foram achadas apenas pílulas.

Suas coxas e ombros estavam cheios de picadas, resultado provável das injeções de analgésicos controlados que Michael tomava três vezes por dia, há anos.

Foram encontradas também dezenas de cicatrizes, resultantes de pelo menos 13 cirurgias cosméticas.

Além disso, no corpo que no passado era considerado atlético, os legistas acharam:

Perda quase total do cabelo. Ele usava peruca, no momento da morte. Seu crânio era coberto apenas por cabelos curtos e finos.

Em cima de suas orelhas havia inúmeras cicatrizes e a pele estava totalmente sem cabelos. Isso pode ter ocorrido depois do acidente que Michael sofreu em 1984, quando filmava um comercial para a Pepsi.

Várias costelas estavam quebradas, em decorrência das manobras e ressuscitação cardiopulmonar que seu médico e os paramédicos da ambulância praticaram, insistentemente.

Quatro picadas de injeção foram encontradas em volta de seu coração. Seu médico deve ter injetado adrenalina diretamente no órgão, para tentar reanimá-lo. Três delas penetraram as paredes do órgão, provocando danos. Na quarta picada, o médico errou o alvo, atingindo uma das costelas do astro.

Os legistas encontraram também ferimentos inexplicados nos joelhos e na frente das pernas.

Havia ainda cortes em suas costas, que indicavam uma queda recente.

O rosto tinha uma rede de cicatrizes de cirurgias, a ponta de seu nariz havia sumido e seu lado direito estava parcialmente destruído.

Como os médicos, os amigos e a família de Jackson permitiram tamanha autodestruição, sem dar o alarme, é um grande mistério.

Como um cardiologista como o Dr. Murray, que estava com ele no momento de sua morte e que provavelmente foi quem aplicou a injeção do potente analgésico Demerol no astro, cometeu tantos erros seguidos e desperdiçou momentos cruciais do salvamento do cantor, antes de chamar o resgate, também é outro ponto que precisa ser esclarecido.

A família de Michael solicitou uma segunda autópsia, que foi realizada em local não revelado, no último sábado (27), porque, segundo o reverendo Jesse Jackson, seus membros têm graves suspeitas sobre a causa da morte do cantor.

Ironicamente, a autópsia revelou que o Rei do Pop estava a caminho da cura do câncer de pele que foi diagnosticado no início do ano.

Joel Neto Web Developer

Um comentário:

Rangely disse...

Todo Mundo Sabia que aquele cabelo não era dele...um cara de 50 anos não tem logica de ter um cabelo desse.