domingo, junho 28, 2009

Shows de Michael Jackson podem virar tributo com astros da música


Muitos mistérios ainda pairam sobre a vida e a morte de Michael Jackson. O corpo do cantor, que morreu de uma parada cardíaca em sua casa, na cidade de Los Angeles na última quinta-feira (25), passou por necrópsia e foi liberado e entregue à família, que ainda não definiu onde e quando será seu velório. O resultado da causa da morte, porém, só deve sair em um mês. Mas a cada instante, mais um dado é levantado pela imprensa internacional, que cobre o caso.

Os últimos acotecimentos que estampam a mídia, O Televisa Brasil relata a seguir. Afinal, os passos do polêmico astro pop sempre foram seguidos pela imprensa e não seria diferente, após uma morte tão inesperada e cercada de tantos mistérios.

Shows de Michael Jackson pode virar tributo com astros da música

Os 50 shows que Michael Jackson faria em Londres podem ser substituídos por apresentações tributo, com outros grandes astros da música, como Madonna e Justin Timberlake.

Apesar da empresa AEG Live já ter dito que vai devolver o dinheiro dos ingressos, Madonna, Justin Timberlake e Beyonce são os nomes mais cotados para comandar os shows em tributo ao Rei do Pop, que morreu na última qunta-feira (25), de uma parada cardíaca.

Aproximadamente um milhão de ingressos foram vendidos ainda na pré-venda dos 50 shows da temporada, que começaria em julho de 2009. Os ingressos custavam entre 50 e 75 libras (R$ 155 a R$ 232).

Médico particular depõe

Dr. Conrad Murray, o médico que estava na casa de Michael Jackson na hora de sua morte, deu seu depoimento à policia de Los Angeles no sábado (27). E a polícia acredita que suas informações ajudarão nas investigações.

O médico depôs por 3h e em seguida enviou um comunicado à imprensa, onde dizia que “ajudou a identificar as circustâncias da morte e a esclarecer algumas dúvidas”. A mensagem foi enviada através de uma porta-voz, Miranda Sevcik.

“Os investigadores declararam que o médico não é um suspeito, mas uma testemunha desta tragédia. Ele seguiu com na ambulância que atendeu ao cantor e ficou no hospital por horas confortando e consolando a família Jackson”, diz a nota.

A polícia diz que Dr. Murray “deu informações que ajudarão nas investigações”.

O médico participar trabalhava com Michael Jackson há três anos e a dedicação integral, que estava fazendo na época de sua morte, era toda custeada pela AEG Live, empresa organizadora da turnê de retorno de Michael.

De acordo com o presidente da empresa, ele não concordava com a idéia, mas essa foi uma das exigências do cantor.

“Ele me disse: ‘olha todo esse negócio em torno de mim. Sou uma máquina, e temos que manter a máquina funcionando bem’. Você não discute com o Rei do Pop”, disse o presidente da AEG Live, Randy Phillips, ao questionar o motivo de ter um médico em tempo integral.

Excesso de remédios e nova autópsia

Legistas de Los Angeles disseram que Michael Jackson tomava vários remédios sob prescrição médica, mas que para determinar a causa da morte precisa de exames e testes que levam de quatro e seis semanas. A única coisa que puderam diagnosticar de imediato é que o corpo do músico não mostrava sinal de trauma nem evidência de machucados intencionais.

Não se sabe bem por que, mas a família do cantor pediu uma segunda autópsia, que já teria sido feita por outros legistas.

Outra hipótese investiga pela polícia é de que a morte tenha sido por uma overdose acidental de um anestésico derivado do ópio de uso restrito em vários países, inclusive no Brasil. O narcótico Demerol, semelhante à morfina. O referido medicamento teria sido injetado em Jackson por seu médico particular às 11h30 do dia em que ele morreu, minutos antes da parada cardiorespiratória. A informação foi passada por uma pessoa ligada à família de Jackson ao TMZ, site que revelou primeiro a morte do músico. Segundo o veículo de celebridades, o médico morava na mesma casa de Jackson.

O médico é o cardiologista Conrad Robert Murray, que atende clientes nos Estados da Califórnia, onde o músico vivia nos últimos meses, de Nevada, onde Jackson morou por um tempo, e do Texas.

Ex-babá diz que Michael dependia de analgésicos

Grace Rwaramba, ex-babá dos três filhos de Michael Jackson, falou com alguns jornais ingleses sobre o vício do cantor em analgésicos, e disse ainda que ele fazia lavagens estomacais regularmente, e a demitiu porque ela tentou falar com a mãe e uma irmã do astro sobre esses procedimentos perigosos.

“Eu o ajudei por diversas vezes a fazer lavagens estomacais. Ele misturava muitas coisas. Houve um período em que estava tão mal, que não deixava as crianças vê-lo. Ele sempre comeu muito pouco e misturava muitos analgésicos”, falou a ex-babá ao jornal The Times of London, de acordo com a revista People.

A babá disse que no fim do ano passado, ele entrou em contato com a mãe Katherine e a irmã Janet, para ajudá-la a fazer uma intervenção em Michael por conta de sua dependência, e por conta disso, ele a demitiu.

"Ele não queria ouvir. E esta foi uma das vezes em que me demitiu”, afirmou Rwaramba, que trabalhou por mais de 10 anos com o astro, primeiro como sua assistente pessoal e depois como babá das crianças.

Grace Rwaramba vai depor na polícia de Los Angeles sobre sua relação com o cantor. Katherine Jackson também entrou em contato com ela, pedindo que fosse até Los Angeles, pois as crianças estavam inconsoláveis e perguntavam sobre a babá.

“Ela disse: Grace, as crianças estão chorando. Eles estão perguntando por você. Não conseguem acreditar que o pai morreu. Venha, eu vou te buscar no aeroporto’ ”, contou.

Dinheiro guardado em sacos de lixo e sob tapetes

Na conversa, Katherine teria também questionado Grace sobre onde Michael guardava seu dinheiro, já que estava em sua casa, e a ex-funcionária disse que em sacos de lixo e embaixo dos tapetes.

Disputa pelos bens do astro


Na manhã de sábado (27), três caminhões trabalhavam retirando coisas da mansão onde Michael Jackson estava morando ultimamente. Ela fica em Carolwood Drive, esquina com Monovale Drive, onde vivem os milionários astros de Hollywood. Carros de vidros pretos entram e saiam.

A pergunta que paira é se Michael deixou um testamento. Tem gente que já aposta em uma grande briga judicial por parte da família e das mães dos três filhos do cantor pelos seus bens.

A retirada dos objetos pessoais de Michael Jackson da mansão foi coordenada por Janet Jackson, irmã do cantor. Ela se deixou filmar na entrada da residência por alguns minutos, suficientes para marcar presença nos telejornais noturnos.

A casa, alugada pelo astro por R$ 200 mil, tem 8 quartos e 11 banheiros, sala de cinema, biblioteca, salas de jantar e almoço.

Mãe biológica tem permissão para ver os filhos de Michael Jackson

A enfermeira Debbie Rowe teve a aprovação da família de Michael Jackson para ver seus dois filhos biológicos, Prince Michael I e Paris Michael, de acordo com o site TMZ.

Uma fonte próxima à família Jackson falou ao site que a enfermeira entrou em contato com eles, pedindo para encontrar com as crianças, e os Jacksons concordaram.

A família quer manter as crianças com a avó Katherine, mas acreditam que seria injusto com os herdeiros não conhecer a mãe biológica.

Debbie Rowe e Michael se casaram em 1996 e se divorciaram três anos depois. A enfermeira pediu a guarda das crianças em 2005, mas desistiu após uma longa disputa judicial. O filho mais novo do astro, Prince 'Blanket' Michael II é filho do cantor com uma mãe de aluguel não identificada.

Joel Neto Web Developer

Nenhum comentário: