sexta-feira, junho 26, 2009

Thalía comenta morte de Michael Jackson


"Morre o último ícone da musica mundial, que colocou a cantar e dançar todo o planeta rompendo barreiras sociais, raciais e idiomáticas, nos fazendo chorar, rir e sentir a pele arrepiada de tanta energia concentrada em um só homem.

Faz muito não sentia uma tristeza coletica assim, das que se sentem no peito e te deixam oprimido. É um sentimento de "choque" e de perda muito específica. E sem opção alguma, esta perda te faz reviver momentos pessoais da vida que foram acompanhados pelo "soundtrack" de sua música e pelas imagens inovadoras dos seus vídeos.

Michael me marcou desde a adolescencia, sendo sempre unica e continua sendo uma fonte de inspiração.

O acompanhei muito perto, admirando-o como artista e mais adiante, tive o prazer de conhecê-lo em nivel pessoal mais como o ser humano que foi.

Penso que ele e artistas como The Beatles, Elvis e Frank Sinatra mudaram o ritmo do planeta tanto musicalmente como culturalmente.

Nos fez dançar o passo "lunar", aprendemos a coreografia completa de "Thriller", sonhar com um mundo melhor com "We are the World" e imaginar a vida como um conto mágico onde tudo é possivel. De tempo en tempo damos de cara com seres extra talentosos, imensamente sensíveis e magnéticos como esta lenda que jamais desaparecerá.

Hoje mais do que nunca, sai flutuando o amor e admiração tão grande de milhões de seres que preferem, como eu, celebrar ao gênio e legado artistico de um dos mais grandes que permanecerá ainda quando já nós não estivermos aqui".

Michael desde já sentimos falta!!!! Uma vela, uma oração e suas canções.

Muitas bençãos para seus pais, seus filhos e sua família.

Thalía
Joel Neto Web Developer

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito política esta mulher. Antes o Micheal Jackson não valia nada porque chamou o marido dela de racista. Agora, ele é "uma fonte de inspiração". Não é à toa que casou por dinheiro e fama apenas. Cobra!

Anônimo disse...

Discordo. Ela ta falando do ARTISTA, não do lado pessoal, logo, qualquer diferença, se é que existe, não conta. Até pq como artista, Michael foi impecável.