terça-feira, novembro 03, 2015

Parabéns, César Évora! Conheça mais um pouco da trajetória do ator.



César Évora Díaz nasceu em 4 de novembro de 1959 em Havana, Cuba. É filho de um famoso escritor e poeta atualmente erradicado em París e tem um irmão que escreve para um importante jornal diário dos EUA.

Desde criança sempre foi chamado para participar de festivais declamando poesias ou para dizer algumas palavras por causa de sua peculiar voz, o que acabou virando sua marca.

Seu interesse por minerais e pela busca de petróleo em sua terra natal o levou a estudar geofísica, curso que há uma semana de iniciar esteve a ponto de largar, o que não aconteceu, porque se não o fizesse teria que ir para o exército por dois anos.

Cresceu ao lado e sua mãe e seu avó, de quem, já disse, tem grandes recordações já que seu pai sempre estava de viagem e só se comunicavam por telefone ou carta a cada seis meses, o que aconteceu durante 20 anos.

Segundo ele, lhe custou muito trabalho decidir qual seria sua profissão. Porém, ver um filme sendo rodado e estar por trás das câmeras foi o que o fez se decidir pela atuação. No mesmo dia em que isso aconteceu, seu avô morreu.

Évora teve que picar pedra e para conseguir seu primeiro papel realizou um teste no qual haviam mais de quinhentas pessoas participando. Entretanto, aos 18 o ator já tinha um objetivo bem definido: ser um ator de cinema!

Em 1980 tentou trabalhar no filme "Cecília Valdéz", o que acabou não acontecendo mas isso o ajudou a entrar no Instituto de Cinema Estatal (ICAIC), onde fez "Un Hombre Lleno de Éxito" e "Capablanca", produções essas que o  fizeram conhecido fora de Cuba.


Depois, chegou ao México em busca de oportunidade de trabalho e foi assim que chegou a Televisa, aonde conseguiu um contrato de seis anos que viria a se renovar posteriormente, mas com exclusividade.

"Gente Bien" (1997), "El Privilegio de Amar" (1998), "Laberintos de Pasión" (1999), "Abrázame Muy Fuerte" (2000), "El Manantial" (2001) y "Entre el Amor y el Odio" ("No Limite da Paixão" no Brasil) (2002) são algumas das tantas novelas em que se destacou em solo mexicano.


En 2003, deu vida ao vilão Atilio Montenegro, en "Mariana de la Noche"; dois anos depois fez parte de "La Madrastra", como Esteban San Román, e em "La Esposa Virgen" atuou como Loco Serenata.


Embora tenha estreado nas telinhas, também fez vários filmes como  "Cecilia" (1982), "Amada" (1983), "Habanera" (1984), "Una novia para David" (1985) e"Barrio negro" (1989), entre outros.


No México conheceu Vivian, sua atual esposa pela qual teve que ir a Havana para   se divorciar de sua primeira mulher. O ator tem três filhos: Rafael, Mariana e Carla.
Em 2006, fez "Mundo de Fieras", ao lado de Helena Rojo, Edith González e Carmen Salinas, onde deu vida a irmãos gêmeos. Um bom e amoroso e outro ressentido que faz mal a quem cruze seu caminho.


Évora se manteve presente na televisão mexicana com as reprises de "La madrastra" (2005), "Abrázame muy fuerte" (2000) y "El privilegio de amar" (1998), em 2007.



Também em 2007 participou de "Amor Sin Maquilaje" e em 2008 anunciou que pretendia fazer cinemma e novelas assim que acabsse seu trabalho em "Al Diablo Con Los Guapos", da produtora Angeli Nesma Medina.


 Em 2009 se envolveu no documentário dedicado a memória do também cubano Humberto Solás, que faleceu em 17 de setembro de 2008, que teve locações na Cidade do México e em Havana, sob a direção de Carlos Barba. Évora havia trabalhado em filmes importantes da carreira de  Solás, tais como "Cecillia"n "Amada" e "Un Hombre de Éxito".

No mesmo ano, Évora, por motivos de saúde, recusou um papel na novela "Corazón Salvaje", o qual acabou ficando com Enrique Rocha.

Em 2009 fez "En Nombre del Amor" e em 2010 o filme "Trópico de Sangre", no qual deu vida a Antonio de la Maza, e também fez a novela "Llena de Amor". Nesse mesmo ano foi o mestre de   cerimônias da homenagem feita a Agostín Lara, o ''El Flaco de Oro", com o concerto "Solamente   Una Vez, de Cuba a Lara".   



Em 2011 atuou em "Triunfo del Amor", remake da clássica "El Pricvilegio de Amar", protagonizada por Maite Perroni, William Levy, Victoria Ruffo, Daniela Romo e Osvaldo Ríos.  


Na série "El Encanto del Ágilla", que contou com 13 episódios, contracenou com  Ignacio López Tarso, Irene Azuela, Alfonso Herrera, Tenoch Huerta, Enrique Arreola, Gustavo Sánchez Parra, entre outros. A produção narra os acontecimentos que marcaram a revolução mexicana.

Em 2012 fez Amor Bravío, de Carlos Moreno.


No ano seguinte, o ator participou de "Biodegradável", no qual interpretou o vilão Paolo Blas,  um executivo ditator e insensível, sem o menor escrúpulo e som um enorme censo burocrático e repressivo pretende controlar o mundo a sua volta. Também co-estrelou "La Tempestad", produzida por Salvador Mejía,  ao lado de William Levy, Ivan Sanchez, Laura Carmine e ex-Miss Universo, Ximena Navarrete

.

Em 2014, o ator participou da novela "Hasta el Fin del Mundo", onde deu vida a Paco Fernandez, proprietário de uma mercearia, homem nobre e bom, na qual fazia dupla com Maria Rojo, que se ausentou na reta final e foi substituída pela atriz Leticia Perdigón. O elenco também contava com os nomes Marjorie de Sousa, Pedro Fernández, que também saiu da novela, dando lugar a David Zepeda; Julián Gil, Mariana Seoane, Diego Olivera, Claudia Álvarez, Miguel Martínez, Jade Fraser, entre outros.


Nesta terça, seu aniversário, César entra na  segunda fase da novela "A Que No me Dejas".   


Valquíria Andrade Web Developer

Nenhum comentário: