terça-feira, outubro 08, 2013

CRÍTICA: Proibido não assistir "Prohibido Amar"



por Breno Franco | @BrowBreno no Twitter


Depois da sonolenta e fracassada Quererte Así, Rafael Urióstegui tinha a obrigação de produzir um novelão à altura de Cielo Rojo, e ele não decepcionou. Ágil, gostosa e hipnotizante, esses adjetivos definem bem Prohibido Amar. Há tempos não se via na Azteca um primeiro capítulo tão ágil. Sem muitas delongas, apresentou toda a história central, que começa quando Ignacio descobre que tem pouco tempo de vida e quer contar pra Rafael, que é seu verdadeiro pai, mas Alícia, mãe de Rafael, não permite. Tentando salvar seu casamento em crise, Rafael leva toda a família para Acapulco. Lá, ele conhece Gabriela, a qual, durante o desfile de sua grife, descobre que seu marido (Ignacio) a traiu com uma de suas modelos. Os dois conversam em frente ao mar, e Rafael se apaixona de cara por Gabriela, sem saber que ela é sua madrasta. O capítulo acaba quando os dois são surpreendidos por Ignacio, que percebe o clima entre os dois.

O destaque do capítulo fica para Iliana Fox, como Laura, a esposa fútil e histérica de Rafael, e para María José Magán, como Rosario, a amante anoréxica de Ignacio. Ambas deram um show de atuação.

Contrariando as críticas, Rossana Nájera se saiu muito bem como Gabriela, conseguiu deixar sua personagem equilibrada, já que ela não é totalmente boazinha, como as outras mocinhas. Outra surpresa foi Marco de Paula, que depois de algumas participações em novelas (Rosa Diamante e Esperanza del Corazón), ganhou a oportunidade de estrelar uma produção no horário nobre da Azteca, e se saiu super bem. A química entre ele e a Rossana, nos 3 minutos que contracenaram, foi ótima. Concluindo, Prohibido Amar mostrou que é aquele tipo de novela que te prende no primeiro capítulo e só solta no último.

NOTA: Para assistir Prohibido Amar e as outras duas novelas atuais da Azteca, Corazón en Condominio e Hombre Tenías que ser, basta acessar a conta TvNovela2 no Youtube. CLIQUE AQUI!
Danilo Web Developer

Nenhum comentário: